Alunos em uma sala de aula antiga estudando

Compartilhe seu conhecimento

Já conversei sobre isso com vários amigos meus e acho que é um tema que cada vez mais está em foco. Há algum tempo tinha em mente escrever algo relacionado e depois que abri a issue no projeto poste-mais e o tema foi discutido num FEMUG resolvi acelerar o processo.

Sempre gostei de escrever: nos trabalhos do colégio e da faculdade acabava ficando responsável pela maior parte teórica e nem por isso reclamava. Quando decidi escrever na internet, minha idéia inicial era pegar um assunto que queria entender um pouco mais e me forçar a pesquisar a respeito.

Já vi um monte de gente dizendo que quando escrevem sobre um assunto, acabam assimilando mais aquele tema. Nunca parei pra pensar a respeito e pude comprovar há um tempo atrás que ajuda bastante (pelo menos pra mim).

Logo que comecei a mexer com CSS3 lembro que fiquei fascinado com transition e animation. Pra poder entender mais sobre essas duas magias negras que estava conhecendo, resolvi apresentar uma pequena tech talk na empresa que trabalhava. Não vou mentir que me ajudou muito, mas o que realmente fixou os paranauês na minha cabeça foi quando escrevi esse post sobre o tema no Tableless.

Ahn?! Onde você quer chegar?

Calma… Vamos lá!

Levante a mão quem já não pensou em ter um blog pessoal, ou contribuir em algum como o Tableless por exemplo, mas ficou com receio de não ter assunto para escrever, ou o principal e que já ouvi de várias pessoas: achar que o assunto que você teria pra compartilhar seria algo muito simples e que a galera/comunidade iria achar meio que fora da curva e quem sabe qual caminho isso poderia tomar.

Mude!

Uma dica: mude seu pensamento. Simples assim. Alguns dias atrás esse tema surgiu no FEMUG e vi que mais pessoas pensam como eu: que você tem que escrever pra você, independente do que o resto irá pensar.

Alguns motivos que podem te motivar a escrever:

  • fixar um assunto na cabeça.
  • aprender algo novo.
  • documentar alguma solução ou algo que você enfrentou para auxiliar outras pessoas que possam passar pelo mesmo problema.

Poderia ficar escrevendo vários outros motivos, mas acredito que os listados acima já tem uma grande importância.

Compartilhe seu conhecimento

Ainda na última edição do FEMUG, o Fernando Freitas, contou uma história bacana (não lembro de todos os detalhes, mas lembro do principal): ele estava fora do Brasil, senão me engano em algum evento e conversando com um gringo sobre um problema que ele havia passado, o cara perguntou pra ele: “E essa solução que você chegou, onde você escreveu isso?”. E o silêncio reinou na conversa. Ele ainda comentou que lá fora é comum a maioria das pessoas terem um blog pessoal, algo que ainda não é muito visto por aqui. Outro ponto que achei legal foi o Nando Vieira contando do primeiro post dele e encorajando a galera a escrever.

Eu tenho uma opinião simples a respeito disso e falei dela pra um amigo meu que tinha criado um blog há um bom tempo, feito um post inicial mas não tinha escrito mais nada por ter vergonha do que ia escrever ou do que as pessoas iriam pensar.

Eu acho que você tem que escrever pra você, pra documentar algo que você fez ou estudou, sem se importar com o que os outros irão pensar. Fazendo isso, você compartilha seu conhecimento e num futuro próximo pode auxiliar outras pessoas que irão pingar no seu texto.

Não existe tema bobo ou muito simples, como muitos colocam como desculpa pra não escrever. O que é simples e você acha irrelevante, pode ser o problema de muitas outras pessoas.

Tinha já a idéia de escrever sobre o assunto e o FEMUG realmente me deu aquele empurrão. Parabéns aos organizadores Daniel Filho, Rafael Rinaldi e Rafael Lyra pelo FEMUG, cada vez mais legal.

Gostou? Escrevi alguma groselha? Quer melhorar? Abra uma issue com a hashtag 1postperweek e vamos conversar.

See all posts...